#BadBlood2.0 - 29° Capítulo. [Maratona 2/2]


- Vanessa. – Sorri. – É bom ver você depois de um tempo.

      Sentei na cadeira em sua frente e estiquei a mão. Vanessa olhava fixamente para a porta atrás de mim. Olhei para a porta que estava fechada e deduzi que ela está com medo de alguém ouvir o que ela tem a me dizer.

- Eles não podem nos ouvir. É ilegal. – Falei. – Aqui nós podemos conversar, nos tocar e até transar. Acho que é por isso que tem uma cama ali. – Apontei para o lado esquerdo.

      Vanessa continuou muda e olhando para a porta. Arrumei meu cabelo e levantei, fui até a cama e me sentei.

- Eu fiquei tão depressiva com tudo que aconteceu com nós, com você. – Falei. – Miley me chamou para viajar e eu fui. Sentia que precisava disso, mas eu penso muito em você aqui. Esse lugar não é para você. – Tentei não chorar. – Cheguei ontem de viagem e só permitiram hoje uma visita. Queria ter te visto antes, mas eu não estav...
- Como está Zac? – Vanessa perguntou com a voz rouca, sem desviar olhar da porta.
- Zac? – Repeti sem acreditar. – Eu não sei, não o vi. – Comecei a rir. – Vanessa, eu vim até aqui para tentar conversar com você. Tentar ver se precisa de alguma coisa. Roupas, advogado e você me pergunta do Zac?

      Ela me olhou por alguns segundos e arrumou sua mão como se fosse ficar algemada novamente.

- Eu posso perguntar como ele está e ele pode vir te visitar. – Falei. – Mas eu não voltarei aqui.

      Fui até a porta e olhei pela última vez para Vanessa.

- Eu não acredito que você tenha feito tudo isso que está sendo acusada. Eu vim aqui por você como todas as vezes que precisou de mim ou de qualquer pessoa que se importe.

      Bati na porta e um guarda abriu, sem dizer nada, apenas fui andando procurando a saída desse lugar nojento. No fim do corredor, encontrei o detetive John Mayer.

- Ashley. – Ele me chamou ao me ver. – Ela disse alguma coisa?
- Não. – Falei. – Posso ir embora?

***
- O que quer aqui? – Ele perguntou ao abrir a porta.
- Eu quero conversar com você. – Respondi. – Eu consegui fugir de casa por uma noite sem nenhuma pessoa me seguir. – Falei sorrindo. – É a primeira vez que consigo esse feito em meses.
- Você podia sair da casa do Ed quando bem queria. Eu me lembro disso, Taylor.
- Me deixe entrar e conversar. – Pedi. – Eu vou precisar de ajuda porque tem essas escadas, mas não quero tomar muito seu tempo. Só quero conversar sobre isso. Eu me importo com sua opinião e com você.

      Ele olhou para a rua e esticou sua mão para me ajudar a subir os degraus. Entrei em sua casa e olhei em volta e tinha livros jogados pelo chão; Jake estava com um pano de cozinha no ombro e um cheiro de comida pela casa.

- Não liga para a bagunça. – Ele avisou.
- Minha casa está assim também. – Falei. – Mas são capas de jornais com meu rosto estampado. – Tentei rir da piada ruim. – E minha irmã que é a modelo.

      Segui ele até a cozinha e sentei na cadeira, ele trouxe um copo de água e encostou na pia.

- Pode falar. – Ele iniciou, olhando para o fogão.

      Respirei fundo e tentei organizar meus pensamentos para não dizer nenhuma besteira.

- Uma noite antes de desaparecer do SC, eu quase morri sufoca por uma pessoa que eu não sei. – Comecei. – Eu estava dormindo e acordei sem ar com uma pessoa em cima de mim, grudada no meu pescoço. Não conseguia respirar e pensei que iria morrer. Eu tentei me debater e consegui acertar um vaso de planta na cabeça da pessoa. Ele saiu de cima de mim e fugiu. Apenas fugiu. – Tentei segurar o choro ao lembrar. – Eu fugi sim, eu não deveria ter fugido daquela maneira.

      Olhei para a Jake e ele manteve o silencio.

- Única pessoa que me ajudaria nessa situação era o Ed, eu fui até a casa dele e fiquei por lá. No primeiro dia pensei em voltar, mas eu tinha medo e vi no jornal que o Harry tinha se matado. Uma pessoa matou Lily, alguém tentou me matar no meu quarto e depois Harry? Eu entrei em pânico. Eu tinha medo de morrer.

- Tinha? – Jake perguntou.
- Tinha. – Afirmei. – Olha para minha perna, para mim. A morte é melhor que isso.

      Peguei o copo d’água e virei para não chorar. Coloquei ele na mesa levemente e vi o vapor de gelo derreter, virando pingos.

- Um dia encontrei meu celular ligado e tive medo da polícia conseguir rastrear e saber da minha mentira, disse ao Ed que iria voltar e contar uma história falsa sobre qualquer coisa do meu sumiço. Até dizer a verdade. Eu recebi uma mensagem do número da Selena para me encontrar numa lanchonete de estrada, ela sabia onde eu estava e era para encontrar lá no fim da noite. – Ri. – Pelo menos achei que era a Selena. Quando estava chegando perto da lanchonete, uma moto me atropelou e começaram a me espancar, principalmente minha perna. Eu não via nada na hora, mas eu ouvi a voz do Bieber. Era ele. Ele dizia coisas como “você é burra”, “não seja estupida” sempre no feminino. Mas ela não dizia nada. Eu fiquei ali no chão. – Coloquei a mão na boca para abafar o choro. – O Ed queria dizer que eu estava na casa com ele, que mentimos, mas eu lembrei de você. Eu disse para ele que se contássemos a verdade, eles iriam descobrir da conexão de vocês e mentimos. Eu menti sobre o sequestro, mas eu só fiz isso porque eu não queria que você entrasse em toda essa confusão. Ainda mais das coisas que dizem sobre você, eu não queria.
- O que falam sobre mim? – Jake chegou perto. – Qual é o verdadeiro boato?
- Que você fez quando morava em NY. O modo que lidava com alunos. – Recuei.
- Você acredita nesses boatos? – Jake perguntou sentando na minha frente.
- Nunca acreditei. Em qualquer boato, nunca acreditei. – Respondi. – O seu é maldoso.
- E o que aconteceu entre nós? Não seria o mesmo boato. – Jake.
- É verdade? – Perguntei pegando no copo no meu lado.
- Não vou te machucar? – Ele olhou para o copo e afastou-se. – Eu era casado em NY. Ela era professora de biologia, me traiu com meu amigo que era professor de literatura. Eu surtei com ambos e um dia ela disse que eu traia ela com alunas. Esse boato se espalhou porque tentavam descobrir quais era essas alunas. Ela sabe que nunca a trai. Ela só queria fingir que eu era errado e quando não descobriram quem era, alunas ficavam atrás de mim querendo aprender Cormac McCarthy e Charles Bukowski. Como se eles fossem interessantes assim. – Ele riu. – Eu fui embora, mas isso veio comigo. – Ele virou para a pia da cozinha. – Na verdade, até você.
- Você nunca fez nada para não falarem sobre isso? – Perguntei voltando ao assunto.
- Fui eu que pedi as investigações sobre mim mesmo. – Ele parou. – Percebe que boatos existem, nem sempre são reais, fogem do controle e no final... quem se importa com a vida da pessoa? – Ele me olhou. – Eu não posso ficar com você. Não aqui. Não assim. Não agora.
- Então, acredita em mim? – Perguntei, me levantando.
- Já acreditava em você desde que conversei com Ed um mês atrás. – Jake respondeu olhando para o chão. – Eu não estou ignorando você por achar pelo o que você passou, uma mentira. Eu estou ignorando porque isso não é certo. Não podemos fazer isso dar certo.
- Eu não estava gravida do Theo, na verdade. – Caminhei lentamente até Jake. – Não era dele e eu disse que era porque nunca permiti um teste de paternidade.

      Jake olhou nos meus olhos e mudou sua expressão. A chaleira começou a apitar pela casa e nos ignoramos. Ele olhava para mim. Eu olhava para ele. Ele tinha entendido o que eu quis dizer. Olhei para a chaleira e ele desviou o olhar para desligar o fogão.


- Eu não tenho a obrigação de sofrer sozinha sobre isso. – Falei.


Olá amores.
Eu fiz essa maratona de dois capítulos para dar mais emoção a historia. Espero que gostem.
Até mais.

2 comentários:

  1. eu li os capítulos no dia que vc me avisou sobre a postagem, mas deixei pra comentar depois e é claro que acabei esquecendo. mas estou aqui agora, então tudo bem.
    eu já sabia que o filho da taylor não era do theo e agora estou realmente desconfiada que seja a vanessa, de fato, a assassina - até então achava que ela era só um "pau mandando" ou algo do tipo. talvez eu esteja certa e ela seja realmente só um peão, mas não sei.
    enfim, estou curiosa pra saber o que houve com ed (meu amorzinho) e pra saber todo o resto.
    lhe aconselho a não seguir meu exemplo e postar logo, obg dnd.
    te amo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu já postei o proximo capitulo. Espero que você faça o mesmo haha.
      Bom, seu Ed irá aparecer em breve. Aguarde. Na verdade, aguarde tudo que irá se desenrolar, juro que vai e tudo vai ser explicado.
      Te amo muito.
      Beijos

      Excluir

Theme by Corina B.