#BadBlood2.0 - 43° Capítulo.

Nenhum comentário:

- Cristo! Katheryn solte esses garotos agora. – David falou.
- Eu só quero interroga-la. – Katheryn afirmou calma. – Isso era para assusta-los.
- Eu disse que não era uma boa ideia. – Falei. – Senhor. – Olhei para David. – Katheryn estava seguindo Taylor Swift faz algumas semanas.
- John, você deveria me apoiar. – Katheryn exclamou irritada. – Sim, é verdade, mas porque eu tenho toda a cronologia de Taylor e seus amigos pronta, apenas fal...
- Apenas faltam provas... – David completou. – Isso na faculdade chama-se teoria. – Eu estou ficando velho e penso quem será meu sucessor. – David sentou-se na cadeira. – Esse caso tinha de tudo para escolher meu sucessor no cargo, mas Johnny mostrou-se ser um homem abusivo com mulheres, principalmente alunas. Você, Katheryn, demostra abusar do poder que tem e você também não me escapa John. – Ele olhou para nós. – As pessoas apelam por justiça, não para prenderem quem quiser e na hora que quiser na base de teorias.
- Se você visse o que tenho para mos... – Katheryn foi interrompida.
- Eu vi e por mais que eu queira acreditar que aquela jovem algemada tenha feito isso, ainda sim você não deu um motivo e como elas arrastaria amigos para isso, também não deu motivos. – David.

Katheyn bofou, saiu da sala e voltou.

- Um interrogatório! – Katheryn pediu.
- Apenas um e cuidado com o que diz. – David. – John você fica com Edward e ambos têm uma hora.

Katheryn sorriu e foi em direção a sala que Taylor Swift estava algemada na mesa. Eu olhei para David e segui para sala onde Edward Sheeran estava, diferente de Katheryn, preferi não algema-lo sabendo que era uma armação.

- Ed! – Cheguei e sentei na sua frente. – Eu vou poupa-lo de gastar saliva e dizer que estamos sendo gravados e observados. – Tentei dar um sinal. – Sobre aquilo que conversamos, pensou?
- Observei certas coisas que estavam acontecendo e eu aceito sua proposta. – Ed sorriu. – Como está Taylor?
- Vou ver agora, mas posso garantir que estará bem. – Sorri. – Você está liberado.

Abri a porta e Edward passou por mim, fechei a porta e segurei seu ombro no corredor.

- Isso é uma armação, não é? – Edward perguntou.
- De Katheryn para pegar Taylor, sim. – Afirmei. – Mas se quiserem minha ajuda terão que abrir o jogo comigo e será em sua casa no domingo à noite, certo?
- Sim, domingo. – Edward repetiu.

Apontei a saída para o rapaz e voltei para sala onde Katheryn interrogava Taylor. Fui para outra porta onde era a cabine que poderíamos observar o interrogatório através do espelho.

- Não vai admitir que não pegou seu celular na noite que Lily foi morta? – Katheryn.
- Não, porque tudo que você está me acusando é mentira. – Taylor respondeu. – Vocês são inúteis.
- E você uma garota mimada e mentirosa. – Katheryn bateu na mesa. – Como você dorme sabendo que sua mãe vinha atrás de nós todos os dias atrás de notícia? Eu descobri tudo sobre você e sua trajetória de vítima até aqui. – Katheryn pegou um tablet. – Essas fotos suas com Jacob Gyllenhaal, o rastro do seu celular e dna na casa de Edward Sheeran.
- Quem foi que deu essas fotos a você? Miley? – Taylor riu. – Ela é obcecada com isso assim como você está, assim como Johnny estava. Você é burra, detetive! Era obvio que teriam fotos de paparazzi, dna na casa do meu melhor amigo e rastro do meu celular na piscina porque todos esses lugares que você tem como prova eu vou toda semana.

David entrou na sala.

- Como estão? – Ele perguntou.
- Nada bem. – Observei.
- Eu posso prende-la agora por desacato a autoridade. – Katheryn.
- Que prenda! É a única coisa que vocês teriam contra mim. – Taylor gritou. – Vocês são inúteis que soltaram a garota que me espancou na rua quase até a morte, estão prestes a soltar Justin Bieber também? Vocês sabiam que ele era traficante de drogas? Vocês chegaram a investigar a morte de Harry? – Taylor começou a bater na mesa gritando e com lagrimas caindo. – Que prenda que provavelmente sentirei mais segura em uma cela.
- Chega. Tire Katheryn de lá agora. – David ordenou.

David saiu e rapidamente invadiu a sala de interrogatório, Katheryn saiu de lá com ainda mais raiva. Desliguei o áudio e câmeras, fui até Taylor e soltei suas algemas.

- Você está bem? – Perguntei.
- Onde Ed está? – Ela olhou chorando.
- Lá fora esperando você. – Respondi. – Até domingo. – Sussurrei em seu ouvido.

Taylor afastou-se com um olhar estranho e seguiu em direção a saída limpando suas lagrimas.

- Eu ainda vou te pegar, Taylor. – Katheryn falou vindo em sua direção. – Uma hora vou.
- Estou pronta para isso, detetive. – Taylor respondeu seria.

***

- Selena, o que faz aqui? – Perguntei surpreso.
- Posso entrar? – Perguntou de maneira tímida.
- Sim, estou esperando Ed e Taylor voltarem da delegacia. – Sorri.
- Eu soube. – Selena indagou. – Não quero tomar seu tempo, Theo, mas falei com Vanessa essa manhã e ela me deu uma carta para entregar a Taylor. – Selena mostrou um papel. – Ela diz que é importante Taylor ler isso e tentar entender.
- Espere aqui e entregue. – Falei indo para cozinha.
- Nós não estamos nos falando desde que defendi Justin das acusações de vocês. – Selena explicou.
- Nunca é tarde para isso. Taylor precisa de uma amiga desde que Emma foi para seu intercambio e nós... somos homens. – Comecei a rir. – Aceita alguma coisa?
- Água. – Selena pediu. – Porque eles foram presos?
- Ainda não tenho certeza, mas as últimas 24h não foram das melhores para nós.

Entreguei um copo de agua para Selena, fomos para sofá e sentamos. Ela colocou um envelope em cima da mesa.

- Você leu? – Perguntei curioso.
- Não, Vanessa pediu que apenas Taylor abrisse. – Selena respondeu.

Peguei o envelope e coloquei contraluz. Só pude identificar que a carta foi escrita a mão.

- Vou respeitar o pedido dela. – Falei ao colocar a carta na mesa novamente.

Ficamos em silencio por alguns minutos. Selena parecia nervosa e bebia água em pequenos goles para não acabar, permaneci ao seu lado observando-a de canto de olho.

- Está nervosa? – Perguntei.
- Um pouco. Vanessa procurou-me após contar que seu encontro com Taylor fracassou e eu tentei dizer que não somos mais tão boas amigas assim, mas ela não quis ouvir isso. – Selena respondeu.
- Você é uma boa garota, Selena. Acredito que as duas vão achar um jeito. – Sorri.
- Não foi boa amiga com ela. Não fiquei ao seu lado quando precisou, eu fiquei no lado de quem a feriu e depois... eu fiquei sozinha. – Lamentou.
- Como descobriu sobre Justin? – Perguntei curioso.
- Eu visitava ele sempre na prisão crendo que era inocente como ele tinha dito, na última vez que fui até lá ele admitiu o que fez com Taylor. Que ela dizia a verdade. – Selena começou a chorar. – E eu a chamei de mentirosa porque não acha possível que ele faria algum mal.
- Selena, você sabia que Justin era traficante? – Perguntei.
- O que? – Selena me olhou assustada. – Não. Claro que não. Como?
- Ele era antes disso e eu desconfio que as pessoas que mandaram ele e Vanessa fazerem aqui, sabia de coisas sobre eles que os incentivariam a machucar Taylor. – Expliquei com calma.
- Isso é coisa de filme, Theo. – Selena começou a rir com os olhos cheios de lagrimas. – Ninguém faria tamanha maldade por causa disso.
- Se pensa assim, Selena.... Talvez não seja o panorama geral. – Falei.
- Eu vejo, mas não quero acreditar ou me envolver ele. – Selena.
- Se você souber ou desconfiar de alguma coisa falaria conosco? – Perguntei.
- Vocês agem como se fosse um grupo privado. – Selena olhou nos meus olhos. – Mas falaria.

                Ed e Taylor entraram mudos e seguiram para cozinha. Ed estava com sua feição calma e Taylor parecia furiosa com alguma coisa. Levantei-me e fui até eles enquanto Selena permaneceu sentada, mas olhando.

- O que aconteceu? – Perguntei.
- Ela nos prendeu para tentar colocar medo em nós. – Taylor falou irritada.
- E Taylor declarou guerra contra ela. – Ed completou.
- Enquanto Ed marcou um encontro com o detetive John para abrirmos o jogo para ele. Um detetive. – Taylor encarou Ed.
- A detetive Katheryn estava nos seguindo faz duas semanas e não fez nada quando ligou dizendo que Vanessa estava na casa de Jake. – Ed defendeu-se. – John avisou do que ela estava capaz de fazer e fez.
- Eu não iria falar nada e nem vocês. – Taylor bateu a mão na mesa. – Ela sabe a minha verdade. Tudo ela sabe, mas não tem como provar, então, temos que cuidar cuidado com o que dizemos ou fazemos porque ela está determinada em acabar com a carreira dela me colocando atrás das grades.
- Selena está aqui. – Sussurrei e ambos olharam para Selena.
- Não vi ela. – Ed riu.
- O que ela quer? – Taylor perguntou.
- Fale com ela, Taylor. Escute e veja o que ela tem para você. – Sussurrei.

Taylor estremeceu seu rosto e encarou nós dois. Ficamos parados sem fazer nada. Ela seguiu para Selena e ficou de pé em frente a Selena.

- Queria falar comigo? – Taylor perguntou.
- Sim. – Selena. – Na verdade venho trazer isso. – Entregou o envelope.                
- O que é isso? – Taylor perguntou olhando o envelope.
- É de Vanessa, ela pediu para ler. – Selena respondeu. – E eu gostaria de falar com você, depois.
- Estão de sacanagem comigo hoje? – Taylor riu. – O que quer falar comigo, fale agora?
- Quero pedir desculpas mais uma vez por não ter acreditado em você. – Selena. – Todos os dias me arrependo de não ter ficado ao seu lado quando mais precisou e quero dizer que sinto muito e que faço qualquer coisa para você confiar em mim novamente. Sinto falta da nossa amizade.
- Selena, não há nada para fazer. – Taylor deu de ombros e virou as costas.
- Se você está determinada a nos ajudar, talvez tenha. – Falei. – Ela é uma ponta ao Justin.

Taylor olhou para Selena pensativa. Todos ficaram mudos por algum tempo.

- Se ela quiser, está bem. – Taylor bufou.
- O que querem que eu faça? – Selena perguntou mais animada.
Ed levou Selena até a cozinha para explicar o que tínhamos conversado antes em relação ao Justin. Olhei para Taylor e ela estava com a carta em suas mãos já tremulas.
- Quer que eu leia? – Perguntei.

- Por favor. – Ela entregou a carta e se sentou. – Leia primeiro e depois leia em voz alta.
C
layout por gnmh, não copie, obrigada!