#BadBlood2.0 - 34° Capítulo.


- Bom dia a todos. – Falei ao subir no pequeno palco. – Vocês devem ter acompanhado o que aconteceu nas últimas duas semanas. Eu sou a detetive Katheryn Hudson, alguns por aqui já me chamam de Katy. Após o afastamento obrigatório do Johnny Depp, eu irei retomar o caso de Lily Collins e aviso que terá muitas mudanças.
- Quais mudanças? – O legista perguntou.
- Nós iremos recomeçar o caso desde o início com o que temos. – Respondi para todos. – Iremos começar desde o início, iremos rever documentos, filmagens, interrogatórios. Iremos expandir buscas maiores.
- Corpo de Lily foi enterrado já faz dois meses. – John falou. – O de Harry Styles também.
- Já pedi para nossos promotores apelarem para desenterrar os corpos para uma nova autopsia.
- Essas famílias já não passaram por muito? – O legista perguntou.
- Se for para acharmos respostas, iremos fazer isso. – Respondi. – Não será a mesma coisa por aqui, espero que entendam isso rápido. Vamos correr contra o tempo.
- E Vanessa Hudgens? – Outro policial perguntou. – Ela não disse nada até agora.
- Descobrimos através de um guarda da penitenciaria que ela perguntou sobre seu ex-namorado, Zachary Efron, iremos ficar em cima dele para ver o motivo das únicas palavras dela ser sobre o estado do rapaz. – Falei. – Também iremos conversar com Taylor Swift, ela é uma sobrevivente, temos que descobrir onde ela estava e quem manteve ela em cativeiro.

     Vi alguns policiais conversarem entre si, mas todos mantiveram atenção em mim.

- Esse foi nossa primeira reunião. Irei dividir em equipes para o trabalho ser mais agilizado e iremos sentar todos os dias para reunir o que temos. – Falei. – Vamos correr contra o tempo. Esse caso foi empurrado pela barriga pelo nosso antecessor, vamos mudar isso.

     Dispensei todos e desci do pequeno palco, arrumei meu cabelo e peguei algumas papeladas sobre Lily Collins.

- Marque uma reunião com nossos promotores. – Falei para minha assistente.
- Katy. – John veio na minha direção. – Pode não citar o Johnny pelo bem da equipe.
- Bem da equipe ou pelo seu bem? – Perguntei. – Eu sou a chefe agora.
- Certo. – John respirou fundo. – Sabemos que Vanessa só disse “como está Zac? ”, mas foi em uma conversa particular, não podemos usar isto porque estaremos violando seus direitos. Mas não temos provas contra ela além do testemunho de Taylor e Theodore. É pouco, dado o relacionamento dos dois no caso.
- Conclusão: Quanto tempo temos até Vanessa ter um advogado que tire ela de lá? – Perguntei.
- Temos duas semanas para ela completar três meses. – John respondeu. – Caso ela tenha uma advogada que tire ela dali e isso seria fácil por falta de evidencias.
- Mais um problema que seu irmão deixou. – Revirei os olhos. – Vamos virar o jogo.

***
- Não vai para aula hoje? – Jake me perguntou.
- Não. – Respondi. – Quero ficar com você. – Sorri.
- Já faz alguns dias que você não assiste aulas. – Jake alertou.
- Podemos não falar disso?

      Jake sorriu e me puxou para seu colo, ele acariciou minhas costas com as pontas de seus dedos.

- Ainda dói muito? – Ele passou a mão no meu joelho.
- Cada dia dói menos. – Respondi. – Já tenho 94% de função.
- Então, podemos continuar nos divertindo até chegar ao 100%.

      Inclinei minha costa para trás e Jake passou sua barba pelo meu pescoço e depois beijava. Fiquei arrepiada com seus leves toques. Ele levantou comigo no colo com um impulso e nos levou para seu quarto, enquanto me beijava lentamente. Me colocou na cama lentamente e deitou em cima de mim, mantendo uma mão na minha cintura e outra tirando minha calcinha lentamente. Jake jogou minha calcinha para trás dele e voltou para me beijar, foi descendo lentamente pelo meu corpo com beijos, relaxei meu corpo na cama e fechei meus olhos com leve sorriso de prazer.
***
- Como você está? – Perguntei entusiasmada. – Sua mãe não pode vir hoje, ela pediu para trazer essa lasanha de queijo para você. – Mostrei para ele.
- Selena. – Justin falou triste. – Como estão as coisas por lá?
- Justin. Não tem nada para saber. – Falei. – As coisas estão normais, pelo menos, fingindo.
- Taylor, está melhor? Soube que ela está fazendo fisioterapia. – Justin falou.
- Nós só temos meia hora de visita e você quer gostar o tempo falando dela? – Ri. – Por favor.
- Ela é sua amiga, eu não acho certo vocês estarem nessa situação por mim.
- Taylor te acusou de uma coisa que você não fez. Ela apanhou e não sabe quem foi.
- Selena foi eu. – Justin falou e abaixou a cabeça. – Foi eu.
- Como? – Comecei a rir com os olhos cheios de lagrimas. – Você me disse que não foi.
- Eu menti. – Ele continuou com a cabeça baixa. – Fui eu quem atropelou ela.
- Porque? – Coloquei a mão na minha boca. – Você disse que nem se conheciam.
- Estava com umas dívidas. Não tinha dinheiro para pagar e minha família ia ser despejada. – Justin passou a mão na mesa. – Não quero que me visite mais.
- Justin, você... como você.... Porque mentiu todo esse tempo. – Me levantei. – Eu briguei com minha melhor amiga por achar que ela colocou um inocente na cadeia, eu contratei seu advogado, eu trabalhei para pagá-lo. – Me afastei com a sacola. – Você atropelou minha melhor amiga, colocou ela de coma. – Gritei. – Ela perdeu um bebe por isso e você mentiu para mim esses meses que venho aqui. Eu estou sozinha lá fora por defender sua inocência. Você quase matou ela.
- Não tive escolha, Selena, se você pudesse ver meu lado. – Justin olhou para outras pessoas em volta. – Não espero seu perdão, então, não venha mais aqui.
- Não espere que eu volte. – Joguei a sacola nele. – Covarde.

***
- Olá, sou detetive Katheryn Hudson. – Mostrei meu distintivo. – Gostaria de conversar com sua filha, Taylor.
- Desculpe, ela não está em casa. – Sua mãe informou assustada. – Aconteceu alguma coisa?
- Em resumo: estou tomando pose do caso e irei investigar mais. Sua filha foi uma vítima e eu gostaria de conversar. – Expliquei. – Onde posso achá-la?
- Eu realmente não sei onde ela está no momento. Ela tem hora livre depois da fisioterapia. – Sua mãe falou preocupada. – Eu posso ligar para ela.
- Não é necessário, irei ver se ela ainda está lá ou falo com ela depois. Obrigada. – Sorri.

     Guardei meu distintivo e coloquei minha luva.

***
- Taylor, quando ouvir essa mensagem, não entre em total desespero. – Tentei falar com calma. – A polícia tem alguma testemunha e está atrás de você. Por favor, me ligue. Ed.

      Desliguei o telefone e entrei na minha casa novamente.

- O senhor não pode ficar aqui. Estamos fazendo uma busca. – Um policial me empurrou para trás.
- É minha casa, eu quero saber o que vocês estão fazendo. – Retruquei entrando.

***
- Uma cerveja, por favor. – Pedi e sentei no balcão.
- Duas tequilas aqui.

     Olhei para o lado e Demi sorria para mim, ela levantou um copo e bebeu.

- Cerveja não é bebida. – Demi falou.
- É para começar. – Tentei sorrir com confiança.
- Selena, você está abalada. – Demi alisou meu rosto. – O que aconteceu?
- Nada demais. – Respondi e bebi um gole de cerveja.
- Certo, nós nos temos mais toda a confiança de antes... – Demi riu. – Eu conheço sua feição e quando está sofrendo sozinha, só queria ajudar, mas você não confia.
- Já faz anos, Demi. – Falei. – As coisas não são as mesmas entre eu, você e Miley.
- Era um trio e tanto. Nós três. – Demi sinalizou rindo. – Mas não impede de bebermos juntas.
- Não. – Sorri e virei o shot de tequila.
- Você não está bem, eu vejo isso. – Demi limpou sua boca. – Eu também não estou. Cher está em NY com a irmã de Taylor, viraram melhores amigas ou algo assim. – Ela riu. – Eu achei que ela estava ocupada para não falar comigo longe, mas percebi que mesmo aqui, ela não fala comigo. Me sinto um lixo. – Demi parou e arregalou os olhos. – Eu sou um lixo, dormi com o namorado dela com a total consciência. Sou um lixo. – Ela olhou para mim. – Fala que sou um lixo.
- Não irei falar isso. – Disse assustada.
- Fala que eu sou um lixo! – Demi gritou no bar. – Preciso que fale uma vez. – Pediu mais calma.
- Você é um lixo. – Falei de uma maneira gentil. – Está bom assim?
- Sim, me sinto melhor que alguém concorde comigo sobre isso. – Demi riu. – Garçom mais uma aqui. – Ela me olhou triste. – O Joe não diz, mas já vi ele me olhando e tentando entender como fiz isso. Uma vez ele disse que jamais transaria com alguma namorada do Nick, eu transei. Ele achava errada olhar de segundas intenções para Miley, eu olhei para Liam. Então, eu sou um lixo para ele e ele tem medo de dizer.
- Não quer dizer isso, Demi. – Tentei tocar nele. – Você sabe que errou. Fim.
- Só irá acabar quando todos que sabem disso morrer, porque vai me perseguir de um jeito ou de outro. – Demi tossiu. – O Joe é perseguido com isso, ele diz que não, fala que não liga, mas no fundo ele se sente mal porque ele namora “a garota que transava com o cunhado”.
 - O Justin confessou para mim que agrediu a Taylor. – Falei triste e bebi outro shot. – Ela entregou ele, eu briguei com ela e ele admitiu. Ela nem quer olhar na minha cara. Eu sou um lixo e conhecida por namorar, cozinhar e levar comida para um cara que agrediu minha amiga.
- Ele sequestrou também, não? – Demi me olhou. – Foi o que a Taylor disse, ele sequestrou e manteve ela em cativeiro?
- Sim. – Limpei minha boca. – Isso tudo tornou uma merda.
- Sinto saudades de antes, Selena. Era eu, você e Miley. – Demi sorriu lembrando. – Só nos três contra qualquer um, não tínhamos nada disso. Então, um dia o jogo mudou. Cada um escolheu seu lado na vida.
- Demi, não fale assim... 

2 comentários:

  1. Olá!
    Então com esse capítulo comprova que o Justin realmente esteve envolvido e que afinal é verdade?!
    Mas a culpada da morte da Lily continua no segredo dos deuses.
    Gostei da conversa entre a Demi e a Selena. Deu para entender mais o que aconteceu/acontece entre as duas e a Miley. Tanto a Selena como a Miley andavam um pouco desaparecidas na fic. Aliás, cheguei a pensar que a Selena pudesse ser suspeita da morte da Lily. Mas, não sei... para mim ainda tenho como principais suspeitas a irmã da Taylor, a Ashley e a Cara. Mas a Selena também é um "caso" que me deixa pensativa.
    Espero pelo próximo capítulo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é verdade o envolvimento do Justin e só falta o motivo disso.
      Digamos que a morte da Lily é bem mais forte do que houve com Taylor.
      Futuramente terá um especial de memorias entre amizades das quatro. Infelizmente são muitos personagens e sua maioria são secundários, mas aos poucos eles irão voltando conforme a volta de Taylor nos ambientes. Vamos aguardar para ver o que acontece, mas revelo que nos próximos episódios vão ser revelados muitas coisas haha.
      Beijos,
      Métis.

      Excluir

Theme by Corina B.