12 de ago de 2017

#BadBlood2.0 - 49° Capítulo [Parte 3/3]


7 meses depois.
- Chegou a carta? – Theo perguntou.
- Era previsível desde que me inscrevi... – Fiz a cara de triste. – Sou finalista! – Gritei rindo.

Theo pegou a carta da minha mão e leu meu nome entre as finalistas do campeonato nacional de natação entre as universidades. Ele riu.

- Tenho novamente 100% do meu joelho, finalista como queria e você ao meu lado. – O abracei. – Retirando algumas coisas nesses últimos três anos não mudou nada como planejamos.
- Isso é um ótimo presente de aniversário. – Theo concordou com a cabeça.
- Sim. – Troquei de blusa rapidamente. – Eu só queria mostrar isso a você. – Sorri. – Melhor descermos antes que minha mãe venha aqui para puxar nossas orelhas.
- Ela disse que você e Ed finalmente escreveram uma música junta. – Theo abriu a porta. – Vão tocar?
- Talvez. – Respondi.
- Ed disse que é para mim. – Theo riu. – É verdade?
- Parece que Ed falou para aumentar seu ego. – O encarei fazendo pouco caso. – Pelo visto funcionou.

Descemos as escadas conversando e rindo juntos. Theo puxou meu rabo-de-cavalo levemente para me irritar.

- Hoje é o primeiro dia de audiência do Estado da Pensilvânia contra Miley Ray Cyrus sobre o homicídio de Lily Collins, morta brutalmente na Universidade que estudava e tentativa de assassinato de Taylor Swift.

Desliguei a televisão rapidamente e tentei reagir normalmente enquanto todos me encaravam. Respirei fundo e tentei não responder a nenhum desses olhares.

- Você sabe que tem que testemunhar, não é? – Theo sussurrou no meu ouvido.
- Sei e não precisa lembrar. – Respondi. – Eu voltarei amanhã para lá e me livrar disto.
- Taylor, nós sempre fomos amigos...
- Theo, eu estou bem. – Falei com pausas. - Até convidei Vanessa e Ashley para meu aniversário. – Sorri. – Um sinal que segui em frente.
- Vou fingir acreditar em você agora, mas falaremos disso depois. – Theo sorriu forçado.
- Sei que vai falar... – Resmunguei.

Apoiei meus braços no balcão da cozinha.

- Taylor, obrigada por nos convidarem. – Vanessa cutucou-me. – Espero que goste.
- Obrigada! – Sorri.

Sentei no chão sozinha e puxei em cima do balcão uma garrafa já pela metade de tequila. Bebi direto da garrafa olhando fixamente aos detalhes dos azulejos do chão.

- Muito cedo para beber. – Ed arrancou a garrafa da minha mão. – Vamos! – Ajudou-me a levantar. – Vamos conversar sobre você olhar para Miley amanhã e testemunhar contra ela.
- Não quero falar sobre isso. – O empurrei nervosa.
- Então não pense nisso como está pensando. – Ed engrossou a voz. – Poxa! É seu aniversário, sua família está aqui, nós estamos aqui. O que falta para você?
- Você fala dessa maneira como se soubesse o que está aqui! – Bati na minha cabeça. – Isso não é nada perto de tudo que finjo guardar aqui na minha cabeça.
Limpei minha boca e subi as escadas, tranquei a porta e deitei na cama.

***
- Estão juntos agora? – Miley riu ao ver Selena pegando na minha mão. – Se eu soubesse antes...

Selena recuou sentando fileiras atrás de onde Miley ficaria na audiência.

- Nick, não fale com ela. – Selena puxou.
- Porque está fazendo isso? Amedrontando todos? – Enfrentei Miley.
- Porque será. – Miley riu levantando as mãos algemadas. – Parabéns, vocês combinam muito. Chatos, entediantes, sonham com um mundo perfeito. Um nojo. – Miley cuspiu na minha direção.
- Excelência! – Promotor gritou. – Olha os modos da ré.

Sentei ao lado de Selena e peguei em sua mão. O Juiz entrou na sala, todos levantaram por alguns segundos e sentaram novamente. A audiência de condenação da Miley começou.

***
- Recebem a testemunha-chave, Taylor Alison Swift.

O guarda abriu a porta e apontou para cadeira ao lado do Juiz. Sentei e olhei apenas para outro guarda que veio com uma bíblia.

- Coloque sua mão na bíblia é jure dizer a verdade, somente a verdade, nada além da verdade em nome de Deus?
- Juro! – Abaixei a mão.

***
- Recebem o ultimo detetive que coordenou a investigação e foi responsável pela captação de Miley e provas, John Clayton Mayer. – Primeiro guarda anunciou.
- Coloque sua mão na bíblia é jure dizer a verdade, somente a verdade, nada além da verdade em nome de Deus?
- Juro!
Arrumei minha roupa e apoderei na cadeira.
- Quero saber detetive John... – O advogado de defesa. – Onde está seu irmão caçula, Jared Leto?
- Morando em Toronto, Canadá. – Respondi.
- Existe alegações de que existe um vídeo onde seu irmão, na época namorado de Taylor Swift, está coberto de terra molhada na noite que a vítima Lily Collins morreu. Estou certo da gravação?
- Sim, há uma gravação dessa. – Respondi confiante, sabia onde ele quer chegar.
- A gravação não era relevante?
- Assim como tudo no caso, era importante. – Respondi. – O mais importante é que provas de compras de telefones descartáveis, rastreamentos das mensagens vindos da Republica que ela morava.
- E os motivos? – O advogado perguntou. – Quais são os motivos que você diz que minha cliente tem porque acusar, vocês acusaram muitos, mas ela tinha motivos?

***

- O motivo fui ela, pelo menos ela diz. – Respondi calma. – Eu causei tudo, certo, Miley?
- Por favor, só fale comigo. – Advogado de Miley ficou na minha frente. – Então, você tem culpa?
- Provavelmente sim. – Dei de ombros. – Ela diz que eu pedi para Lily morrer, na minha cabeça foram apenas palavras que dizemos sempre, mas se ela foi até o fim. Devo ser julgada.
- Você não está sendo julgada aqui, senhorita Swift. – O Juiz. – Está aqui por livre e espontânea vontade para depor. Faça apenas isso.
- Apesar da surra que levou onde dizem que minha cliente foi uma mandante. – O advogado riu. – Como fugiu da suposta casa que te sequestrou? Como vivia lá, como sobreviveu? Tinha comida, agua, banheiro. Quem era as pessoas. Onde ficava a casa? Essas perguntas que o FBI deveria ter feito a você, não fizeram. Então, na frente de toda a mídia presente na cobertura desse processo. Pergunto: Onde você realmente estava?
- Essas perguntas já foram respondidas. – Tentei parecer calma. – Para o FBI.
- Você teme que essas mesmas pessoas te peguem novamente? – Ele riu.
- Às vezes, sim! – Respondi. – Mas estou morando em outra cidade, outra vida. Tento recuperar o tempo perdido nisso.
- Pode ser indelicado ou muito pessoal para responder nessa corte, mas é importante perguntar. – Ele voltou a sorrir malicioso. – Se o Juiz permitir, claro. Quando e como você terminou com Jared Leto, irmão do detetive John Mayer-Leto e começou a namorar Jacob Gyllenhaal. Faça sua linha do tempo.
- Nunca cheguei a terminar com Jared, diretamente. – Respirei fundo. – Ele não esteve no hospital quando precisei e através do detetive Johnny, descobri que ele tinha seguido em frente. – Ri. – Nunca conversamos após isso, mas foi diferente com Jake. Nos conhecemos pelos corredores, ele demostrou preocupação e houve uma aproximação entre nós.
- Espera que acreditamos nisso? – Ele olhou para o júri. – Onde está Jacob?
- Não se pode amarrar ninguém. – Dei de ombros. – Não estamos juntos faz um bom tempo.
- O tempo que Jared sumiu, minha cliente considerada culpada e vocês terminaram após você levar uma facada da minha cliente por legitima defesa e seu namorado ter passado no hospital por ter levado uma facada similar na região do tórax. Isso tudo não soa coerente.
- Pode dizer o que for, mas Miley é culpada pelo o que fez comigo. – Gritei. – Crie teorias, faça perguntas, mas isso não vai mudar fato de ter me atacado e tentado me matar. Duas vezes.
- Senhorita Swift, eu não estou tentando mudar nenhum fato e sim acrescentar. – Ele afastou. – Não quero julgar, mas parece egoísmo da sua parte apenas dizer o que minha cliente fez com você e nunca com Lily.
- Lamento muito por ela, muito. O que quer que eu faça? Eu ainda posso correr perigo de ser morta, já a Lily não pode. – Dei de ombros com uma expressão triste. – Eu não irei responder nenhuma pergunta. A verdade é uma: Miley é perigosa e eu temo pela liberdade dela.

***

- Foi uma das maiores audiências que já tivemos ao acompanhar dez dias de julgamento do povo de Filadélfia contra Miley Ray Cyrus. Já estamos a seis dias esperando o júri entrar em consenso para dar a sentença se ela será declarada culpada ou inocente. – Primeiro repórter falou.
- Para quem chegou no Estados Unidos da América agora e não sabe o que está acontecendo sobre o homicídio que abalou o país por meses. Lily Collins, nadadora da Swarthmore College, foi encontrada morta dentro da piscina. Alguns meses depois Taylor Swift foi encontrada espancada nos arredores da Filadélfia após ficar em cárcere privado colocando Vanessa Hudgens e Justin Bieber na cadeira por terem sidos os “botes expiatórios”.
- Meses depois Vanessa conseguiu liberdade por não terem provas o suficiente para acusa-la de homicídio. O caso ficou conhecido, também, por expor o detetive que até na época estava no comando das investigações por envolvimento com alunas. No final seu irmão, John Mayer, encerrou investigações com provas “cruciais e impossíveis de consertar” apontando Miley Cyrus como mandante de espancamento de Taylor e culpada pelo assassinato de Lily.
- Um dia antes, Taylor Swift, foi encontrada na Swarthmore quase morta por facada, Taylor acusou Miley após uma discussão entre elas. Mesmo após todos os dias de julgamento, nenhuma das partes e nem Taylor levantou hipóteses de quem teria sequestrado ela em primeiro plano. Miley e sua equipe de advogados sustentam a hipótese que foi uma armação da própria Taylor e que nunca teria sido sequestrada.

- Vai ficar assistindo isso? – Perguntei atravessando a casa.
- Sim! – Ed respondeu sem dar atenção.
- Acha que um dia isso pode virar contra nós? – Perguntei.
- Taylor, quando você disse que acabou.... Acredite, acabou. – Ed.

- Noticia de última hora. Todos foram chamados novamente para a Corte. Vamos acompanhar o que está acontecendo. – Repórter ficou mudo e todos estavam entrando na sala do tribunal. Ficamos acompanhando. – Os juris estão voltando. É quase certo que eles têm a sentença em mãos.
***

- John! – Katy gritou.

Joguei o copo de plástico no lixo e vesti meu terno, em passos rápidos alcancei a Katy que já entrava no tribunal do júri. Sentamos na primeira fileira, os fotógrafos já estavam lá prontos e pedindo para olharmos. Permaneci quieto e tentei demostrar nenhuma afeição a tal situação que perturbou minha sanidade e relacionamentos por mais de um ano.
A Miley entrou algemada com dois guardas e sua equipe de advogados – que surpreendente são pagos pelo seu pai que acredita na sua inocência. Em seguida, passando por nós, a promotoria e minuto depois o Juiz.

- Mande o júri entrar. – O Juiz.

Os juris entraram e sentaram em sua respectiva cadeira. A líder do júri levantou com um envelope na mão.

- Chegaram em um veredito? – O Juiz perguntou.
- Sim! – Ela entregou.

A escrevente que fica ao lado pegou o envelope, abriu, conferiu, autenticou, fechou e entregou para o Juiz sem demostrar nenhuma emoção ao ser a primeira a saber o veredito. O Juiz abriu e arrumou-se na cadeira.

- Corte Superior da Filadélfia, no caso do povo contra Miley Ray Cyrus, caso número A54513. Nós do júri, na ação designada acima, decidimos que a ré Miley Ray Cyrus, é culpada do crime de assassinato em violação do código penal contra Lily Jane Collins, como a primeira parte da acusação.

Houve um burburinho do tribunal e muitas fotos sendo tiradas. Juiz pediu silencio, olhei para Miley e ela manteve sua cabeça erguida sem mudar sua expressão.

- Nós do júri, na ação designada acima, decidimos que a ré Miley Ray Cyrus, é culpada na dupla tentativa de homicídio de Taylor Alison Swift. Deixando a decisão do Juiz estabelecer a pena como a segunda parte da acusação.

Miley olhou para o advogado e deu um leve sorriso. O burburinho voltou. Dei risada e levantei-me saindo do tribunal antes de terminar a leitura. Alguns fotógrafos me chamaram, ignorei.

8 comentários:

  1. Mirela, filha de Deus, eu sou muito atrasa mesmo e quando cheguei aqui tudo já tinha sido descoberto! AAAAAAAAAAAAAAAAAA! Mas fico feliz de não ter ficado agoniando, porque você sabe que eu me agoneio e muito.
    Enfim, eu estava meio que esperando algo assim da Miley. Não achei que tinha sido ela que tivesse matado a Lily e tudo o mais, mas quando ela começou com aquelas conversas de possessividade pra cima da Taylor eu super desconfiei dela... Mas foi pro lado tipo "nossa, ela sabe alguma coisa sobre a taylor. certeza.", eu tava errada. T.T
    Enfim, fico triste pelo Nick que teve que passar por isso. Inclusive, como tu destrói meu ship dessa forma? T.T x2, mas enfim.
    QUE FANFICÃO DA PORRA BICHO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sabe o quanto seus comentarios são importantes para mim e eu fico muito feliz que está gostando.
      Juro que minha intenção não era acabar com Niley, tanto que eu fiz eles acontecerem mas eu nunca penso nos otps (eu nem ligo para a parte romântica) que inclusive destruí meu próprio otp gyllenswift kkkkkkk :(
      Sim, Miley estava bem na cara que tinha algum envolvimento, mas acho que o próximo capitulo vai deixar tudo muito aaaaa.
      Enfim
      Beijos, Métis.

      Excluir
  2. A letra ficou muito melhor de ler so que tu teve que trocar tudo esta bonito e adorei o capítulo ansiosa posta logo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado de ambos.
      Irei postar assim que arrumar tudo.
      Beijos, Métis

      Excluir
  3. E a Demi e Joe? Não entendi muito bem a história dela encontrar o Liam novamemte...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso vai ser explicado bem rapido, mas não se preocupe que esse detalhe não afetou o final.
      Beijos, Métis

      Excluir
  4. Finalmente a Miley teve o que merecia!
    Gostei muito de saber que a Vanessa foi convidada para a festa da Taylor.
    Mas acho que ainda tem algo que falta até ao final. Por exemplo, como ficará as coisas entre Demi - Liam - Joe - Cher, se a Vanessa ficará com a Ashley ou com o Zac. E o Jared. Se ele ainda será preso.
    Posta logo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Miley foi condenada e ela realmente merecia pelo mal que fez.
      O final de cada um será exposto no final. Espero não decepcionar haha.
      Irei postar assim que arrumar o capitulo.
      Beijos, Métis

      Excluir